Publicidade

Recuperação judicial fecha 2016 com recorde

O número de recuperações judiciais no ano passado foi o maior em uma década, batendo recorde, de acordo com pesquisa divulgada ontem pela Serasa Experian. Em 2016, foram registrados 1.863 requerimentos, o maior volume desde 2006, após a entrada em vigor da Nova Lei de Falências.

O número de pedidos de recuperação judicial em 2016 também foi 44,8% maior do que em 2015, quando foram registradas 1.287 ocorrências, e 125% superior a 2014, com 828 demandas. Ou seja, mais do que dobrou o número de empresas nesta situação em dois anos.

O quadro recessivo da economia brasileira no último ano prejudicou a entrada de recursos no caixa das empresas, que também se depararam com o crédito mais caro, dificultando o financiamento e renegociação das dívidas. Luiz Rabi, um dos economistas da Serasa, responsável pelo estudo, alerta que a alta ocorre basicamente por constância do cenário recessivo, redução no volume de credito disponível no mercado para pessoas jurídicas e juro maior para esse segmento.

Com informações do Jornal do Comércio