Publicidade

Ministro da Cultura passa por saia justa e é chamado de golpista em Recife

Folha de Pernambuco

Em passagem por Pernambuco, onde cumpre agenda, o ministro da Cultura, Roberto Freire (PPS), passou por uma saia justa no Palácio do Campo das Princesas, ao discursar em cerimônia voltada para políticas culturais do Estado. Ao sair em defesa do governo federal e do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Freire foi vaiado por alguns e chamado de golpista.

“Quero aqui, em nome do governo federal que represento, com muita honra, entendendo que é uma responsabilidade de quem tem de sair dessa crise, que não foi de responsabilidade nossa. Eu até mesmo não votei no atual presidente da República”, afirmou. Antes de terminar a frase, o ministro foi vaiado por alguns presentes.

Roberto Freire continuou o discurso afirmando que tem a responsabilidade, também, de defender o governo “que nós votamos pelo impeachment que construímos”. Após essa declaração, foi chamado de golpista.

As reações dos presentes pareceram não agradar o ministro de Estado que chegou a elevar o tom de voz. As declarações em defesa do governo federal foram dadas depois que o secretário de Cultura do Estado, Marcelino Granja (PCdoB), criticou o impeachment de Dilma e a perseguição contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Confira, abaixo, trecho do discurso de Roberto Freire: