Publicidade

Delcídio acusa Renan de gangsterismo e revanchismo



Folha de S.Paulo - Mariana Haubert

Logo após a cassação do seu mandato pelo plenário do Senado, Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) acusou o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de "gangsterismo" por ele ter acelerado a votação que levou à perda de seu cargo – para que ela não acontecesse após a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, marcada para esta quarta (11).

Em nota assinada conjuntamente com seus advogados, Delcídio confirmou que irá recorrer da decisão do Senado e repudiou, "com veemência", a "forma sorrateira e desleal" com que Renan "mancomunou a reviravolta da deliberação da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça" tomada nesta segunda (9) de adiar a análise do processo do senador.

"A liturgia do rito de cassação foi conspurcada por manobra traiçoeira, típica do gangsterismo que intimida pessoas e ameaça instituições, com o espírito revanchista de quem se julga acima da lei e do Direito", diz o texto.