Publicidade

Pernambuco não deverá antecipar vacinação da gripe H1N1



Do NE10

Pernambuco é um dos 11 estados, além do Distrito Federal, a registrar casos da gripe H1N1 neste início de ano. Apesar disso, o Estado não deve antecipar a vacinação contra o vírus influenza, com campanha nacional de imunização prevista para o dia 30 de abril. Outros estados, como São Paulo onde os casos têm se proliferado rapidamente, têm solicitado ao Ministério da Saúde para realizar a imunização antes do agendado para evitar o avanço da doença.

A Secretaria de Saúde de Pernambuco informou, em nota, que "o Estado seguirá o novo cronograma de vacinação nacional do Ministério da Saúde", mas ressalta que assim que receber as doses enviadas pelo Governo Federal irá agilizar sua logística de distribuição para os municípios. Caso haja necessidade de antecipação, o calendário será alterado. Este ano, no território pernambucano, foram 13 casos confirmados de gripe A H1N1, dos quais três são considerados graves. No mesmo período de 2015, o Estado não contabilizou casos confirmados deste tipo de gripe.

Também no ano passado, Pernambuco vacinou 1.591.643 pessoas, ou seja, 84,56% do público alvo - gestantes, idosos e pessoas com comorbidades e têm mais risco de adoecer. Além disso, após o fim da campanha, a secretaria teria liberado os municípios a vacinarem a população em geral com as doses restantes.

No País, de acordo com o Ministério da Saúde, já foram registrados, até o dia 19 deste mês de março, 305 casos da gripe H1N1. Deste total, pelo menos 46 pessoas morreram em decorrência da doença. O dado torna-se preocupante a partir do momento que o total de casos e mortes no primeiro trimestre de 2016 já é maior do que todos os infectados e mortos pela mesma doença em 2015. No ano passado, 141 pessoas tiveram foram infectados pela gripe H1N1 e 36 morreram.

Nessa segunda-feira (28), o Ministério da Saúde anunciou que iniciará o envio das doses nesta sexta-feira (1º). Nas três primeiras remessas (de 1º a 15 de abril), os estados receberão 25,6 milhões de doses, que corresponde a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano.

"A partir do recebimento das vacinas, os estados podem definir estratégias de contenção, conforme suas análises de risco, para a vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional. A Campanha acontece em todo o país do dia 30 de abril a 20 de maio, sendo o dia 30 de mobilização em todo o país", informou o comunicado do governo federal.

PREVENÇÃO

Além da vacinação, a população pode adotar ações para evitar a infecção pelo vírus influenza. Medidas de higiene como lavar sempre as mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas que facilitam a transmissão de doenças respiratórias, são algumas destas prevenções.

MEDICAMENTO

Todos os estados brasileiros serão abastecidos com o Fosfato de Oseltamivir, medicamento para tratar a gripe H1N1. É importante que o medicamento seja administrado nas 48 horas do início dos sintomas.

VACINAÇÃO

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza tem como objetivo reduzir as complicações e as internações decorrentes das infecções pelo vírus. No ano passado, a campanha imunizou 84,3% do público-alvo, ultrapassando a meta de vacinar 80% de um total estimado em 49,7 milhões pessoas consideradas com mais riscos de desenvolver complicações causadas pela doença.