Publicidade

Presidente do PT apoia manifesto de advogados contra Lava-Jato



Da Agência O Globo

O presidente do PT, Rui Falcão, apoiou nesta segunda-feira, em texto publicado na página do partido na internet, o manifesto divulgado na semana passada por advogados contra a Operação Lava-Jato. O dirigente petista diz que “desmandos” vêm sendo preparados em nome da operação e que a denúncia é “relevante”.

“O combate à corrupção, a corruptos e corruptores, não pode servir à violação de direitos, nem tampouco para fragilizar a democracia, tão duramente conquistada. É preciso vigilância e luta aberta contra este embrião de estado de exceção que ameaça crescer dentro do Estado Democrático de Direito”, escreveu Falcão.

Para o presidente do PT, o fato de o manifesto ser assinado por alguns advogados de presos ou condenados em primeira instância na Lava-Jato “não tira o mérito” da denúncia.

“Somando-se a outro texto já subscrito anteriormente por juízes democráticos, a denúncia alerta para os exageros das delações forçadas, dos vazamentos seletivos de informações, do excesso das prisões preventivas, para a espetacularização dos julgamentos, às restrições ao direito de defesa e ao trabalho dos advogados”, disse.

O PT já vinha criticando a Lava-Jato. No ano passado, o partido divulgou uma cartilha com uma série de ataques aos procuradores e ao juiz Sérgio Moro. O ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto, o ex-presidente da legenda e ex-ministro José Dirceu e o senador Delcídio Amaral (PT-MS) estão presos por causa da operação.

No texto desta segunda-feira, Falcão reproduz trecho do manifesto dos advogado que fala em “uma atuação judicial arbitrária e absolutista, de todo incompatível com o papel que se espera ver desempenhado por um juiz, na vigência de um Estado de Direito”.