Publicidade

Para Armando Monteiro, mercado exterior é o caminho para Pernambuco



Do JC Online

O ano de 2016 é visto com otimismo pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro. Em entrevista exclusiva à Rádio Jornal na manhã desta sexta-feira (15), o ministro diz ver oportunidades para os exportadores pernambucanos durante o ano. “Pernambuco exporta pouco, 1 bilhão de dólares apenas. O Estado tem condições de ampliar os negócios com o mercado externo”, afirmou

Na entrevista, o ministro comunicou o lançamento de três programas de exportação no Agreste pernambucano até o mês de fevereiro. No dia 22, Santa Cruz do Capibaribe recebe a primeira unidade do programa, que apoiará 250 pequenas empresas para exportação, em parceria com a UFPE. No Araripe, a partir do dia 25, 35 empresas do setor gesseiro receberão apoio. Já no dia 15 de fevereiro será lançado o programa voltado para os empresários de fruticultura no São Francisco, em Petrolina.

“O programa de exportação chega a Pernambuco através de um processo de apoio às empresas pequenas e médias para que a gente possa aproveitar esse canal importante para gerar emprego no Estado”, diz o ministro. Pernambuco possui atualmente apenas 247 empresas exportadoras. Somadas, representam somente 5,8% das exportações do Nordeste. Na região, quem lidera é a Bahia (58%), seguida do Maranhão (18%) e do Ceará (9%). No ano passado, a balança comercial pernambucana bateu recorde negativo (US$ 6,3 bilhões).

Monteiro afirmou ainda que a montadora da Fiat, na cidade de Goiana, Mata Norte do Estado, será uma das beneficiadas pelos novos acordos na área automotíva fechados com a Colômbia e com Uruguai, bem como pela renegociação do acordo já existente com o México. “Aumento das exportações é importante para Pernambuco, a montadora da Fiat precisa de mercados externos, uma vez que as vendas no mercado domésticos caíram”, considera.