Publicidade

Governo divulga recomendações para bebês com microcefalia

Jornal Nacional

O Ministério da Saúde quer incentivar o atendimento de bebês com microcefalia o mais cedo possível, logo nos primeiros meses de vida. As recomendações foram divulgadas nesta quarta-feira (13).

O Brasil tem hoje 3.530 casos suspeitos. Em 20 estados e no Distrito Federal. Pernambuco, o primeiro estado a identificar o aumento de microcefalia, continua com o maior número de casos suspeitos: 1.236. Em 2014, foram 147 casos confirmados em todo o país.

“Nós podemos ter crianças com cegueira por exemplo, cegueira parcial. Nós podemos ter crianças com problemas auditivos, surdez total ou parcial. Nós podemos ter crianças com déficit cognitivo, déficit motor, enfim, é um mundo. O cérebro comanda tudo e dependendo do grau de malformação que essa criança tenha, ela vai ter características umas diferentes das outras”, aponta Alberto Beltrame, secretário de atenção à saúde – MS.

E pra cada dificuldade, um trabalho diferente, que pode ser com a ajuda de aparelhos, fisioterapias e até brincadeiras. O importante é que pais e especialistas possam ajudar as crianças a se desenvolver ao máximo.

O ideal é que o atendimento comece no primeiro mês de vida. O Brasil tem hoje 1.543 centros de reabilitação e segundo o secretário, todos vão estar preparados. Ele só não explicou como o Sistema Público de Saúde, que já vive superlotado, vai receber os bebês com microcefalia. Mas disse também que 7,5 mil funcionários vão ter treinamento especializado a partir de março.