Publicidade

Deve chover menos entre fevereiro a abril, em Pernambuco



Meteorologistas de todo o país reunidos na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, divulgaram a previsão climática para o trimestre de fevereiro a abril. Para Pernambuco, os modelos de previsão climática indicam para o próximo trimestre FMA/2016 uma possibilidade de chuvas dentro da normal climatológica para todo o setor leste do Estado, que compreende as mesorregiões do Litoral e Zona da Mata, e de normal a abaixo da climatologia para as demais mesorregições, que compreendem o Agreste, o Sertão e o Sertão de São Francisco. O encontro contou, via internet, com a participação dos Centros Estaduais de Meteorologia, as universidades, o Instituto Nacional de Meteorologia e demais usuários de diversos pontos do Brasil, inclusive do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), por meio do Laboratório de Meteorologia (Lamep).

Foram analisadas as condições regionais da pluviometria e globais dos oceanos e da atmosfera, assim como os resultados de modelos numéricos de previsão climática sazonal, visando elaborar o prognóstico climático para o trimestre fevereiro, março e abril de 2016 (FMA/2016). Foram abordados o comportamento da atmosfera e dos oceanos nos três últimos meses e também as condições futuras previstas para o trimestre FMA/2016.

Segundo os meteorologistas, com o aquecimento da temperatura da superfície do mar no Oceano Pacífico e o enfraquecimento dos ventos alísios, a configuração do fenômeno El Nino se mantém, desfavorecendo as chuvas na Região Nordeste. No entanto, o Oceano Atlântico tende a reger os eventos meteorológicos atuantes na região, devido ao aquecimento da temperatura da superfície do mar que vem sendo observada no oceano adjacente a costa leste do Brasil.

PERNAMBUCO

Os modelos de previsão climática indicam para o próximo trimestre FMA/2016 uma possibilidade de chuvas dentro da normal climatológica para todo o setor leste do Estado, que compreende as mesorregiões do Litoral e Zona da Mata. Para as demais mesorregições, que compreendem o Agreste, o Sertão e o Sertão de São Francisco, a previsão é de normal a abaixo da climatologia.

Por consenso dos meteorologistas participantes, as distribuições de probabilidades ficaram: na categoria abaixo da média esperada (45%), na categoria normal (30%) e na categoria acima da normal (25%). As previsões de temperaturas indicaram uma maior probabilidade de serem dentro da média climatológica para todo o Estado de Pernambuco.