Fanpage

sábado, 3 de dezembro de 2016

Comitiva de americanos e canadenses visitarão o polo gesseiro dias 6 e 7 de dezembro



Empresários americanos e canadenses estarão na região Araripe entre os dias 6 e 7 de dezembro para conhecer as indústrias do polo gesseiro e participar de mais uma rodada de negócios internacionais promovida pela Apex Brasil em parceria com o SINDUSGESSO e as empresas que integram o projeto setorial de exportação Brazilian Gypsum.

Junto aos empresários virão também potenciais compradores dos dois países além de formadores de opinião que, após o regresso aos EUA e Canadá, irão fomentar o uso dos produtos derivados do gesso produzidos no Araripe Pernambucano de modo a estimular a exportação. Em junho deste ano, a Apex Brasil promoveu uma missão de prospecção nos dois países da América do Norte.

No dia 6, a comitiva conhecerá mineradoras, fábricas de calcinação e de pré-moldados das cidades de Araripina e Trindade. A visita será guiada pelos membros do SINDUSGESSO. 
No dia seguinte, 7, no Centro Tecnológico do Araripe haverá palestras com João Renato Durand de Medeiros, engenheiro químico e gerente industrial da IGE que falará sobre Soluções em Gesso; Raul Lins, arquiteto e consultor do projeto Comprador e Imagem América do Norte e falará sobre “Oportunidades para soluções em gesso no exterior”; outro tema abordado será “Desmistificando o uso do gesso e suas aplicações na construção civil” pela Engenheira Civil e consultora empresarial, Ana Paula Alencar.

A última palestra será com Jiroko Fabíola Rosales, diretora assistente do Departamento de desenvolvimento econômico da cidade de Dallas – Texas, EUA. Ela vai abordar os “Programas Internacionais para empresários brasileiros em Dallas”.

SHOWROOM DE GESSO

Os participantes do evento poderão conhecer um ambiente de 10m² construído com os produtos de gesso. A obra, feita pelo arquiteto Raul Lins, mostrará a aplicabilidade do gesso na construção civil através do uso de blocos, placas, forros, revestimento e acabamento.

O ambiente vai mostrar as qualidades e benefícios do uso do gesso no sistema construtivo e servirá como modelo para que os visitantes conheçam não somente os produtos bem como o seu uso. 



Procurador do MPPE ataca bancada de Pernambuco na Câmara



Blog da Folha - Foto: Alfeu Tavares

Um dos porta-vozes do ato contra a corrupção, promovido por membros do Judiciário do Estado, o procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, Carlos Guerra, criticou o posicionamento da maioria dos deputados pernambucanos sobre as mudanças no pacote anticorrupção votadas na Câmara Federal, na madrugada da quarta-feira (30). Seu discurso foi feito no hall do Fórum Rodolfo Aureliano, no bairro de Joana Bezerra, nesta sexta-feira (2).

“Acredito que cada um de nós aqui sabem que foram poucos deputados pernambucanos que não participaram dessa farsa. Cada um aqui tem sua convicção”, disparou o magistrado. 

“É incrível quando a gente percorre os corredores do Congresso Nacional e vai conversar com os parlamentares. Há um desconhecimento do teor dos projetos de lei. Era comum conversar com o parlamentar e ele não sabia o que iria votar, dizia que era fiel ao partido e iria votar junto com a bancada”, completou.

Guerra disse que está tentando alertar a população sobre “um projeto de lei que tenta impedir o combate à corrupção no País”. 

“O que a população está falando de nós? O que estão pensando naqueles movimentos de rua prometendo impunidade para aqueles que cometem a corrupção no País? As bombas que soltam nos caixas eletrônicos hoje não se comparam com a bomba lá no Congresso”, afirmou. 

A mobilização foi organizada pela Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público de Pernambuco (Frentas-PE), integrada pela Associação dos Magistrados de Pernambuco (AMEPE), Associação do Ministério Público de Pernambuco (AMPPE), Associação dos Magistrados Trabalhistas de Pernambuco (AMATRA VI) e Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e Associação Nacional dos Procuradores da República.

Com informações de Tauan Saturnino, da Folha de Pernambuco


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Operação Lei Seca completa cinco anos e inaugura base em Serra Talhada

A Operação Lei Seca (OLS) em Pernambuco completa neste 1º de dezembro cinco anos de atividades e inaugura uma base administrativa na cidade de Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, a partir deste mês. A nova estrutura ficará responsável por planejar ações específicas para todo o Sertão do Estado, nas seis Gerências Regionais de Saúde (Geres) – Arcoverde, Afogados da Ingazeira, Serra Talhada, Salgueiro, Ouricuri e Petrolina.

Esta organização consolida de forma permanente a interiorização das atividades educativas e de fiscalização das equipes da OLS, além de integrar a gestão do Nível Central, no Recife, com as demais Gerências – Caruaru, Goiana, Recife, Garanhuns, Limoeiro e Palmares. Serão traçados cronogramas de blitz para cada região com base nos dados estatísticos dos números de acidentados e georreferenciamento dos locais das colisões.

Os acidentes e mortes no trânsito são encarados como questão de saúde pública e considerados como uma epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Só em 2015, estas seis Regionais de Saúde do Sertão somaram 13.090 acidentados de transporte terrestre com destaque para Petrolina, que registrou 3.340 atendimentos a acidentados, seguido de Ouricuri (3.013), Serra Talhada (2.350), Salgueiro (1.719), Afogados da Ingazeira (1.386) e Arcoverde (1.282). Os 13.090 atendimentos correspondem a 37% dos acidentados de todo o Estado, onde foram registrados 35.128 atendimentos, sendo 26.637 deles envolvendo motociclistas – 80% desses números são relativos a acidentes envolvendo motocicletas.

A estrutura terá como sede o prédio da Geres de Serra Talhada, e contará com profissionais da Saúde e da Polícia Militar para garantir maior interação com gestores das Geres, hospitais, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Bombeiros, Samu, Departamento Estadual de Estradas e Rodagens, Detran-PE e guardas municipais de trânsito. Cada Geres, desde o ano de 2012, já possui um Comitê Regional de Prevenção de Acidentes de Moto.


Semas entrega Casa de Beneficiamento do Mel e material apícola em Carnaíba



O Secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Sérgio Xavier, entrega na próxima sexta-feira (02/12), a casa de beneficiamento de mel e material apícola, na comunidade Serra da Matinha, em Carnaíba, dentro do projeto de “Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade para o Combate à Desertificação no Semiárido Pernambucano”.

O projeto desenvolvido pela Semas em parceria com o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas/Ministério do Meio Ambiente atua em 12 municípios, escolhidos pela proximidade das zonas de amortecimento de Unidades de Conservação do bioma Caatinga em implantação, e pretende transformar a realidade de cerca 400 famílias.

A implantação dos Módulos de Manejo começou a ser desenvolvido em 2011 e foi premiado em 2014 com o Prêmio Dryland Champions, concedido pela United Nations Convention to Combat Desertification (UNCCD)/OUNU), por meio do Ministério do Meio Ambiente, por fazer parte essencial do combate à degradação do solo e à desertificação para o convívio com o semiárido.

A implantação dos módulos de manejo prevê ações distribuídas em cinco eixos que estão em andamento: segurança hídrica (construção de 12 poços e 2 sistemas simplificados de abastecimento de água), segurança alimentar (criação de 12 unidades produtivas), segurança energética ( construção de 338 fogões ecológicos), saneamento básico (construção de 328 banheiros com fossa e sumidouro) e 33 capacitações para agricultores e professores e gestores públicos dos municípios, sendo 24 realizadas durante os anos de 2014/2015, e as 12 restantes serão temáticas e realizadas até o fim de 2016 de acordo com o arranjo produtivo escolhido pela comunidade.

Em Carnaíba, serão entregues a Casa de Beneficiamento do Mel e derivados e materiais como: mesa desoperculadora, centrífuga, decantadores, colmeias, macacões, luvas e fumegadores. A iniciativa vai agregar valor ao produto que será comercializado pela própria comunidade. No material apícola existem utensílios individuais entregues a cada uma das famílias e material coletivo.

O projeto já transformou a realidade de algumas famílias, na comunidade de Laginha, em Serra Talhada, por exemplo, um poço foi perfurado no começo do ano de 2016, que enche duas caixas d’água com capacidade de 10 e 5  mil litros e atende a comunidade de acordo com a necessidade dos moradores, esse sistema simplificado tem uma perspectiva de abastecimento até 2020.

Em São Caetano, 30 famílias da Comunidade Sítio Onça, já se acostumaram com os fogões ecológicos, que utiliza uma câmara de combustão que distribui e aproveita melhor o calor, necessitando de pouca lenha para atender o processo de cozimento dos alimentos. Essas famílias também receberam animais (caprinos e ovinos), que vai ajudar a melhorar as condições financeiras e melhorar o plantel genético dos animais da localidade. O arranjo produtivo é escolhido pela própria comunidade de acordo com a sua aptidão.

Pernambuco possui cerca de 80% do seu território no clima semiárido, dos 184 municípios, 122 estão em áreas que vem sofrendo degradação ambiental progressivamente. A Caatinga é um bioma único do Nordeste no Brasil, ocupando aproximadamente 11% do território nacional. Rico em biodiversidade, o bioma abriga 178 espécies de mamíferos, 591 de aves, 177 de répteis, 79 espécies de anfíbios, 241 de peixes e 221 abelhas. Cerca de 27 milhões de pessoas vivem na região, a maioria carente e dependente dos recursos do bioma para sobreviver (dados do Ministério do Meio Ambiente).

Serviço: 

Entrega da Casa do Mel e material apícola em Carnaíba pelo Projeto de Implantação de módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade para o Combate à Desertificação no Semiárido Pernambucano.

Data: 02 de dezembro de 2016

Local: Comunidade da Matinha, em Carnaíba.

Horário: 9h às 12h.


Juízes e promotores de Petrolina fazem manifestação contra mudanças no pacote anticorrupção

Em repúdio à aprovação de uma medida que cria punição para juízes e promotores no pacote anticorrupção, aprovado pela Câmara dos Deputados na madrugada da última quarta-feira (30), juízes e promotores farão nesta sexta-feira (02) uma manifestação na cidade de Petrolina. A categoria afirma que um dos efeitos da lei é enfraquecer o Poder Judiciário.

A mobilização começa às 11h, em frente ao Fórum Dr. Souza Filho, no Centro da cidade, e também contará com a participação de servidores públicos.

Elaborado pelo Ministério Público Federal (MPF) com diversas colaborações e chancelado por 2 milhões de assinantes, o pacote com 10 medidas contra a corrupção recebeu várias modificações no dia 30 na Câmara dos Deputados. Foram retiradas algumas medidas e incluídas outras.


CRPAM debate plano para diminuição de acidentes nos municípios da V GERES

O CRPAM (Comitê Regional de Prevenção a Acidentes de Motos) da V GERES, em parceria com a Operação Lei Seca (OLS/PE), realizou nos dias 28, 29 e 30 de novembro, ações educativas de prevenção aos acidentes terrestres, nos municípios de Bom Conselho, Lajedo e Garanhuns, marcando o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito (20/11).

As ações merecem destaque pela criação do GT do Trânsito (Grupo de Trabalho) para elaborar Planos Municipais de Redução  de Acidentes de Transporte Terrestre para 2017, formados por Conselheiros Municipais de Saúde e Educação, para formar multiplicadores de atividades de educação para um trânsito mais seguro na região.

A ação também foi apresentada na Construtora Viana e Moura, em Garanhuns, com a participação de mais de 150 trabalhadores, além das palestras realizadas nas escolas estaduais dos municípios.

A presidente do Comitê, Catarina Tenório, acompanhou as ações, levando a mensagem da prevenção, principalmente, aos mais jovens. "A cada semana somos noticiados de diversos acidentes de motos na região, e precisamos alertar a população, com maior ênfase ao público-perfil que tem sido vitimado, muitas vezes sequelado, e infelizmente, com mortes precoces" - explicou a gestora.

O CRPAM apresentou e debateu os registros de acidentes e óbitos envolvendo transporte terrestre no dia 28 em Bom Conselho, 29 em Lajedo e encerrou nesta quarta-feira (30), no Município-sede, Garanhuns. 

"Os municípios foram escolhidos por terem maior população e apresentarem grande índice de óbitos por acidentes, porém, iremos levar estas iniciativas aos 21 municípios da nossa regional, que apresenta grande número de acidentes envolvendo veículos motorizados" - finalizou Catarina Tenório.


Mulher tem 80% do corpo queimado em incêndio em Araripina



Portal G1/Foto: Rafael Diniz

Uma mulher, de 33 anos, ficou com cerca de 80% do corpo queimado após um incêndio em sua residência na madrugada desta quinta-feira (1º). O fato aconteceu na Vila Serránea I, distrito de Araripina, no Sertão de Pernambuco.

De acordo com a Polícia Civil, o incêndio teria sido provocado pelo seu companheiro, de 32 anos, durante uma discussão entre os dois. O homem teria colocado fogo no colchão do quarto e as chamas se espalharam rapidamente. A mulher tentou pegar alguns pertences e ficou ferida.

Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros para o hospital em Ouricuri, também no Sertão do estado. O estado de saúde da vítima não foi informado pelo hospital. O companheiro da mulher foi preso e será encaminhado para uma audiência de custódia em Ouricuri.



quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Ministro diz que água da Transposição chega a Sertânia e Monteiro no primeiro trimestre

O Ministro da  Integração Nacional, Hélder Barbalho, prometeu que a água da Transposição do São Francisco chegará ao município de Monteiro (PB) no primeiro trimestre em 2017 e seguirá pelo Rio Paraíba até a Região Metropolitana de Campina Grande.

Para chegar até lá, o ramal passa pelo município pernambucano de Sertânia e alimenta o canal da segunda etapa da Adutora do Pajeú, que vai até Taperoá, passando pelo Alto da região pernambucana.

No Eixo Norte, a promessa  é de que a água deve chegar ao reservatório Jati (CE) em agosto de 2017 e, em setembro, na Região Metropolitana de Fortaleza, e até dezembro no Rio Grande do Norte. O novo prazo é decorrente da substituição da Mendes Júnior na primeira etapa da obra no Eixo Norte.

A garantia foi dada na Audiência Pública da Comissão de Infraestrutura do Senado Federal, nesta quarta-feira (30/11). Além dos senadores, estavam presentes o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, e representantes dos governos estaduais da Paraíba e Pernambuco.

O ministro Helder informou aos parlamentares que R$ 6,23 bilhões é o valor de investimento do Governo Federal em empreendimentos de Infraestrutura Hídrica nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. O repasse mensal de recursos foi ampliado para obras importantes, como: Vertente Litorâneas (PB), Adutora do Agreste (PE), Cinturão das Águas (CE) e Canal do Sertão Alagoano (AL).

O Projeto São Francisco alcançou 90,85% de execução física, em outubro deste ano.  A previsão é de que após a conclusão das estruturas físicas para passagem da água do Eixo Leste no final de dezembro deste ano, as estações de bombeamento serão liberadas para enchimento dos reservatórios.

Na apresentação foram destacadas outras ações que são executadas para ampliação do abastecimento de água nas regiões do semiárido, como a Operação Carro-Pipa. Atualmente, 3.669.940 pessoas em 827 municípios são atendidas por 6.926 caminhões em nove estados (AL, BA, CE, MG, PB, PE, PI, RN e SE).


Alepe: Comissão de Finanças aprova Lei Orçamentária para 2017 e pacote tributário do Governo de Estado



A Comissão de Finanças aprovou, nessa quarta, os relatórios finais do projeto de Lei Orçamentária para 2017. O orçamento estadual para o ano que vem é de cerca de 33 bilhões de reais. A proposta do Poder Executivo foi aprovada com mais de 600 emendas parlamentares. O presidente do colegiado, Clodoaldo Magalhães, do PSB, destacou as principais alterações à proposta original. Uma delas é a transformação da Adagro, Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária, em unidade gestora orçamentária, o que dá mais autonomia à entidade. Também houve a exclusão do Fundo Inovar, que já não tinha mais movimentações contábeis e financeiras. Ele também justificou o não acolhimento das propostas de alterações feitas pelos deputados da Oposição. “Tivemos aí, por discussão final, que não era possível atender àquelas demandas, por conta do orçamento enxuto que hoje nós temos, da crise de receitas que o Estado enfrenta.” A matéria segue agora para apreciação em Plenário.

O colegiado também aprovou o pacote tributário do Poder Executivo, com seis projetos de lei que alteram as regras de cálculo do ICMS para diversos setores, como o termoelétrico, o sucroalcooleiro e o de aviação.

No segmento de gás natural, a carga tributária foi reduzida de 25%, cobrada na saída interna do produto, para 12% sobre o valor da operação. O relator da matéria, deputado Lucas Ramos, do PSB, destacou que a medida estimula o consumo do produto, principalmente no interior do estado, onde já existem projetos de expansão da malha.

As empresas produtoras de gesso e gipsita, que haviam sido beneficiadas temporariamente com um incentivo fiscal para sanar pendências financeiras, voltam ao patamar original de cobrança de imposto. O deputado Henrique Queiroz, do PR, questionou se a medida não prejudicaria o polo gesseiro pernambucano, que perderia competitividade. Mas, o relator, deputado Lucas Ramos, considerou que os produtores já estavam cientes do prazo do benefício e deu parecer favorável à aprovação do texto.

Já o setor atacadista recebeu benefícios fiscais para evitar o encarecimento de produtos para a população. O representante da Secretaria da Fazenda, João Hélio Coutinho, explica a necessidade das medidas. “Esse conjunto de propostas que foram colocadas aqui visam, de uma forma sistemática, adequar a legislação tributária do Estado de Pernambuco ao momento econômico que o estado e o nosso país estão vivendo, compatibilizando, no máximo possível, os interesses do estado com as condições econômico-financeiras do contribuinte.”

Essas três propostas foram aprovadas também em Plenário nessa quarta-feira. O colegiado e a Casa Legislativa autorizaram, ainda, o Poder Executivo a contratar nova operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal no valor de até 600 milhões de reais. A diretora de Captação de Recursos da Secretaria da Fazenda, Cinthia Cunha, que participou da reunião de Finanças, detalhou a destinação dos recursos, caso sejam disponibilizados pelo Governo Federal. “A gente tem hoje uma lista importante de obras que estão paralisadas, ou com ritmo lento, até por causa da crise que a gente está passando, e a gente pretende priorizar esses empreendimentos já iniciados para poder conluir e entregar à população.” A Comissão de Finanças aprovou ainda outros quatro projetos de lei.


Oficina sobre empreendedorismo movimenta unidade regional da FIEPE em Petrolina

O cenário atual e as tendências de mercado foram alguns dos temas abordados nesta quarta-feira (30) no auditório da Unidade Regional da Federação das Indústrias de Pernambuco – FIEPE, em Petrolina – PE, durante a oficina Empreendedorismo: driblando a crise.

Ministrada pelo professor, economista e especialista em Gestão Empresarial de Negócios, Felipe Dantas Barreto, a capacitação atraiu um bom público de empresários e gestores principalmente do segmento industrial. O evento que começou às 8h e prosseguiu até às 17h, tratou ainda de assuntos a exemplo dos fundamentos da visão empreendedora, foco, meta e visão, perfil das empresas, público alvo e como prospectar de maneira inteligente em tempos de crise.

De acordo com o empresário Marcello Leal, a oficina agregou novas informações e conhecimentos. Atuando no segmento financeiro em cinco estados nordestinos com 180 vendedores, o empresário pernambucano afirmou que a capacitação o deixou bem mais seguro para planejar o futuro da sua empresa. “Agora em dezembro mesmo vou reunir toda minha equipe e aplicar muito do que aprendi aqui visando o planejamento de cada um dos nossos projetos de 2017”.

Segundo Felipe Dantas Barreto os participantes da oficina também demonstraram muito interesse em temas como o comportamento criativo e negócios alternativos. “Conversamos muito sobre capital humano e downsizing, que em português significa aelimina& ccedil;ão de processos desnecessários à tomada de decisão com o objetivo de criar uma organização mais eficiente e enxuta possível”, concluiu o instrutor.

Senado aprova projeto de lei para que presos sejam levados a juiz em 24 horas

O plenário do Senado aprovou, ontem(30), o projeto de lei que estabelece o prazo máximo de 24 horas para que presos em flagrante sejam levados à presença de um juiz. O prazo poderá ser estendido para 72 horas se houverem dificuldades operacionais justificadas, como o caso em que a cidade com juiz mais próxima esteja longe do local da prisão.

O projeto também regulamenta uma série de questões envolvendo as audiências de custódia, como a necessidade de exame de corpo de delito e a presença de um defensor durante o interrogatório policial. Os policiais que efetuarem a prisão não poderão também estar presentes na audiência de custódia e ela deverá ser utilizada para atestar apenas a legalidade e a necessidade da prisão, não para tomada de depoimento e coleta de provas para o inquérito.

Para a senadora Simone Tebet (PMDB-MT), que relatou a matéria no plenário, o projeto poderá auxiliar a Justiça a separar os presos perigosos dos que cometerem crime de menor potencial ofensivo, que possam ser postos em liberdade. Segundo ela, assim, será possível reduzir o número de prisões e de presos que ficam detidos durante meses antes de terem seus casos analisados por uma autoridade judicial.

“Depois de muito debate e muito diálogo, entendemos que chegamos a um parecer de consenso. O projeto não tem a ver apenas com o direito do encarcerado, mas a nossa preocupação, acima de tudo, é com a Justiça e com a sociedade”, explicou.

O projeto seguirá para análise da Câmara dos Deputados. Se for alterado, volta ao Senado para última análise antes de seguir para sanção presidencial.



Avião caiu por falta de combustível, conclui Aeronáutica da Colômbia



Autoridades colombianas apresentaram nesta quarta-feira em Medellín as primeiras conclusões sobre o acidente aéreo do voo que transportava a Chapecoense até a cidade para jogo contra o Atlético Nacional, pela final da Copa Sul-Americana. Segundo o Secretário Nacional de Segurança Aérea da Colômbia, Freddy Bonilla, a aeronave da companhia boliviana LaMia estava sem combustível no momento do choque, o que indica a possibilidade de ter existido nos instantes anteriores uma pane elétrica.

"Podemos afirmar claramente que o avião não tinha combustível no momento do impacto. Uma das hipóteses com que trabalhamos é que como a aeronave não tinha combustível, os motores se apagaram e houve pane elétrica", disse Bonilla em entrevista coletiva no aeroporto Olaya Herrera, no centro da cidade.

O avião que transportava a delegação da Chapecoense caiu entre as cidades de La Ceja e La Unión, na região metropolitana de Medellín, capital do departamento de Antioquia. As investigações preliminares foram apresentadas pela primeira vez nesta quarta-feira, logo depois do vazamento de conversas de áudio entre o piloto do avião e a torre de controle do aeroporto José Maria Cordóva mostrarem um diálogo desesperado para pousar o quanto antes, já que os tanques estavam vazios.

De acordo com Bonilla, a ausência de combustível é uma desobediência grave às regras do transporte de passageiros. "Qualquer aeronave no mundo precisa ter no mínimo uma quantidade extra de reserva para aguentar 30 minutos além do tempo previsto de voo, e ainda mais 5 minutos ou 5% da distância, para que assim se tenha uma segurança. Vamos investigar para saber por que a tripulação não contava com combustível suficiente", explicou.

Os órgãos colombianos confirmaram que o voo fretado saiu de Santa Cruz de la Sierra com destino a Medellín sem previsão para escalas. O tempo do deslocamento seria de 4h, porém a queda se deu antes de se chegar a esse prazo. O avião se chocou com uma montanha a uma altitude de 2,2 mil acima do nível do mar, em velocidade aproximada de 250 km/h.

O secretário desmentiu um boato que circulava na Colômbia sobre o voo da Chapecoense ter ficado no ar para ter que aguardar a liberação da pista. Segundo ele, minutos antes da aproximação da aeronave com a equipe catarinense, a pista teve, sim, de receber o pouso de emergência de um voo que saiu de San Andrés, ilha colombiana no Caribe, com destino a Bogotá. Porém, de acordo com Bonilla, isso não fez com que a viagem do time de futebol fosse afetada.

"Às 9h41 da noite o voo da Chapecoense foi autorizado a se aproximar. Às 9h52 o avião que vinha de San Andrés e estava sem combustível, pousou na pista, após desviar seu destino. Nesse mesmo instante o voo da companhia aérea LaMia comunicou a situação de emergência", explicou. Quatro minutos antes desse pedido de socorro, o piloto boliviano solicitou prioridade na pista.

No horário colombiano (três horas a menos que o do Brasil) das 9h57 da noite de segunda-feira foi feito o último contato. Nessa conversa, a Lamia declarou à torre de controle a falha completa do sistema elétrico, assim como o tanque vazio. Houve perda de contato e a posterior queda do avião, que causou morte de 71 pessoas.

Junto com Bonilla, o diretor geral da Aerocivil, Alfredo Bocanegra, explicou que no primeiro momento, a expectativa por sobreviventes era mais alta. "Chegamos a pensar que seriam 11 sobreviventes, mas são somente seis. Encontramos as duas caixas pretas com facilidade e vamos continuar os trabalhos de apuração", contou. Desses seis, dois são tripulantes bolivianos, três são jogadores da Chapecoense e o outro é jornalista.

Bonilla explicou que os áudios que circulam com supostas conversas entre o piloto Miguel Quiroga e a torre de controle tiveram conteúdos editados e inexatos e considerou a propagação do conteúdo um desserviço, por considerar que contribuem para a falta de esclarecimento sobre o acidente.

Com informações do Estadão


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Tribunal de Justiça realiza mutirão do DPVAT em Serra Talhada; meta é agilizar 2 mil processos na região

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), através da Coordenação do Sistema de Resolução Consensual e Arbitral de Conflitos, iniciou o Mutirão de Perícias Médicas do Seguro Obrigatório Contra Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) no Interior de Pernambuco. O evento teve início na segunda-feira (21/11) e termina na sexta-feira (25). A ação pretende agilizar o andamento de aproximadamente dois mil processos relacionados ao seguro DPVAT, previamente selecionados, com foco nas perícias médicas e na conciliação entre as partes sobre o valor final da indenização.

Em Serra Talhada, o mutirão está sediado na Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem da Faculdade Integrada do Sertão (FIS), sob o comando do juiz Marcus César Sarmento Gadelha.

Segundo a coordenadora do Mutirão, juíza Karina Aragão, o maior entrave no trâmite dessas ações é a conclusão dos laudos médicos. “As perícias realizadas no evento fornecem as informações necessárias para efetuar acordos entre as partes ou embasam a decisão do juiz sobre o caso. A partir da promoção de iniciativas como esta conseguimos agilidade processual e desafogamos o Judiciário”, observou a juíza.

Em Serra Talhada, as cidades envolvidas são: Belém do São Francisco, Buíque, Custódia, Itapetim, Mirandiba, Petrolância, Serra Talhada, Serrita, Sertânia, Tabira, Tacaratu, Terra Nova, Tuparetama e Verdejante.

Seguro 

No país, todos os pedestres, motoristas e passageiros têm direito à indenização do seguro de Danos Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) nos caso de morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médico-hospitalares. O próprio acidentado ou herdeiro pode dar entrada na indenização e reembolso, não sendo necessário o auxílio de intermediários. Os valores pagos pela seguradora tomam como base a extensão do dano sofrido pelo acidentado e o valor pré-fixado em tabela do seguro.


Senado aprova PEC da reforma política

O Senado aprovou na noite desta quarta-feira, 23, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 36/2016, que modifica a forma de eleição dos deputados e pode diminuir a quantidade de partidos políticos dentro do Congresso Nacional. O projeto de autoria do presidente do PSDB Aécio Neves (MG) em parceria com Ricardo Ferraço (PSDB-ES) é o primeiro passo para a reforma política que é negociada entre os parlamentares. Já está na pauta do Senado também o fim da reeleição para cargos do Executivo.

O projeto estabelece uma cláusula de barreira para as legendas que irão disputar as próximas eleições de 2018, além de pôr fim às coligações proporcionais, mecanismo que permite que deputados sejam “puxados” pelos votos da coligação que entra em vigor em 2022. A proposta segue agora para a Câmara dos Deputados.

De acordo com o texto aprovado, os partidos terão que obter, no mínimo, 2% dos votos válidos para a Câmara dos Deputados, em 14 unidades da federação, para terem representatividade no Congresso e acesso ao fundo partidário e ao programa gratuito de rádio e TV. O porcentual de desempenho sobe para 3% a partir de 2022.

“A PEC é uma resposta que o Senado dá à sociedade brasileira que não pode mais conviver com 35 partidos políticos registrados e mais de 30 partidos com solicitação de regularização no Tribunal Superior Eleitoral”, afirmou Aécio.

O projeto foi votado praticamente por acordo no Senado, com placar amplo de 63 votos contra 9. Apenas senadores de partidos pequenos, como PCdoB, Rede e PV ou dissidentes votaram contra o projeto. Apesar do bom desempenho no Senado e dos esforços de articulação de Aécio com a Câmara, a proposta ainda tem pouca aceitação entre os deputados, que são os maiores prejudicados pelo projeto.

Na Câmara está a maior parte dos partidos pequenos, que são afetados pela cláusula de barreira. Além disso, a maioria esmagadora dos deputados é eleita por meio da coligação proporcional. Atualmente, apenas 36 dos 513 deputados foram eleitos com votos próprios, os demais foram “puxados” pela coligação.

Uma comissão especial foi instalada na Câmara para discutir a reforma política. Além da cláusula de barreira e do fim das coligações proporcionais, os deputados também discutem outros temas, como a mudança do sistema eleitoral e o financiamento público de campanha.

Com informações do Estadão


FIEPE destaca sustentabilidade e negócios durante seminário em Petrolina



O setor da energia limpa no mundo e as prováveis mudanças que deverão ser implementadas neste segmento pelo novo presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump foram os tópicos principais da palestra apresentada na noite desta terça-feira (22) em Petrolina – PE, pelo PhD, sociólogo e escritor Sérgio Abranches.

Falando para um público formado basicamente de profissionais da indústria, serviços e comércio, o sociólogo destacou que a energia renovável emprega hoje 8,1 milhões de pessoas no mundo. “A economia verde já é muito mais dinâmica do que a fóssil”, enfatizou  o autor dos livros ‘Copenhague: Antes e Depois’ (2010), e ‘O Pelo Negro do Medo’ (2012), durante o Seminário Tendências de Negócios na Era da Sustentabilidade, promovido pela Federação das Indústrias de Pernambuco – FIEPE, através da Unidade Regional do Sertão do São Francisco - URSF e o Sebrae - PE.

Bastante à vontade com a plateia, Sérgio Abranches falou ainda da busca do equilíbrio possível entre o crescimento econômico e a sustentabilidade ambiental, detalhando estudos sobre o consumo, tributação, juros e previsões de mercado. “Progredir é mais que apenas crescer. É prosperar com qualidade e bem estar de forma sustentada no tempo e com qualidade”, filosofou.

Cases

Antes da palestra de Sérgio Abranches, o público pôde conferir cinco cases de sucesso apresentados por entidades da região. No primeiro momento, Joanna Calazans falou sobre o Programa SOS Aldeias Infantis, seguida de Ailton Guimarães que apresentou o case do SESI. Depois, o gerente de Garantia da Qualidade da Niagro Nicherei, Alisson Alencar mostrou o case ‘Sustentabilidade e Responsabilidades da Niagro Nichirei do Brasil Agrícola’.


O gerente geral do Banco do Nordeste, Humberto Diniz Junior demonstrou os pontos principais do FNE Sol, uma linha de financiamento destinada a aquisição de sistemas de energia e o diretor presidente do grupo Sanvale, Rogério Ribeiro exibiu um vídeo com a proposta ‘Sustentabilidade’, destacando o trabalho desenvolvido há 25 anos nas áreas de gestão de resíduos, reaproveitamento de eletroeletrônicos, fertilizantes orgânicos e energias renováveis.  Completando o quadro de participações, o economista chefe da FIEPE, Thobias Silva contextualizou os temas apresentados acrescentando dados atualizados sobre taxas de juros, desemprego, produção industrial e quadro fiscal.

De acordo com o diretor da Unidade Regional do Sertão do São Francisco da FIEPE, Albânio Nascimento, a repercussão do seminário  foi muito positiva. “Em mais uma oportunidade, atraímos um bom público para atualizar temas importantes e reciclar conhecimentos. Os cases de sucesso refletiram os avanços das nossas iniciativas e a palestra de Sérgio Abranches completou a noite com informações valiosas para a indústria e diversos outros segmentos produtivos regionais”, concluiu.



Documentários com imagens de arquivos são tema de seminário internacional da FGV

A Fundação Getulio Vargas promove nos dias 24 e 25 de novembro, em Botafogo, o Seminário Internacional de Documentário de Arquivo – Arquivos em Movimento. O encontro tem como objetivo discutir as diferentes práticas de incorporação de imagens pré-existentes dentro de produções audiovisuais de caráter documental.

Com palestra de abertura ministrada pelo professor Vicente Sánchez-Biosca, da Universidade de Valência, o evento realizará ainda três mesas constituídas por projetos de comunicação de doutorandos e doutores inscritos e aprovados pela comissão do evento.

Os participantes das mesas submeteram suas propostas para análise da banca e poderão ser selecionados para a publicação no e-book “Arquivos em Movimento”, que reunirá os resultados do encontro. Os selecionados ainda receberão um pró-labore no valor de R$ 900,00.

As mesas serão comentadas pelos professores convidados Eduardo Morettin (ECA/USP), Mônica Almeida Kornis (FGV/CPDOC) e Vicente Sánchez-Biosca.

O seminário Arquivos em Movimento acontece dentro do âmbito do Projeto de Desenvolvimento do Núcleo de Audiovisual e Documentário do CPDOC, financiado pela Fundação Getulio Vargas, contando também com o apoio da FAPERJ. Desde 2006, o Núcleo desenvolve atividades com alunos e pesquisadores da Escola de Ciências Sociais da FGV, possibilitando a realização de diferentes projetos centrados no uso da linguagem audiovisual.